James Bond 007: VARGR – A licença para matar posta à prova!

“Meu nome é Bond, James Bond”. Pense em quantas vezes você já ouviu essa frase e talvez você perca as contas, já que 007 é provavelmente a franquia com a maior quantidade de filmes da história do cinema. O agente do serviço secreto britânico, MI6, foi originalmente criado por Ian Fleming na literatura, mas foi no cinema que ele se tornou famoso, além de ter enveredado para outras mídias como games e, como no caso da obra que vou comentar hoje, quadrinhos. Escrita por Warren Ellis e desenhada por Jason Masters, James Bond 007: VARGR é uma das grandes histórias do personagem.

A sinopse da história, que dura seis edições, é bem simples: Após concluir uma missão que tinha o objetivo de vingar a morte de um agente da divisão 00, James Bond assume as responsabilidades do agente falecido. Sua nova missão o leva a Berlim com o objetivo de desbaratar uma operação de tráfico de drogas que vem causando grandes problemas na Europa. Porém, Bond acaba descobrindo que esta operação tem um alcance bem maior que ele imaginava, envolvendo figuras poderosas que podem trazer o caos ao mundo.

Warren Ellis respeita bastante a mitologia do agente secreto, com a presença de personagens clássicos e os aparatos tecnológicos usuais das histórias de 007. O roteirista emprega um ritmo bastante cinematográfico à obra, bastante ágil e sem momentos enfadonhos, ressaltando muito bem uma característica do personagem que as vezes fica escondida nos filmes: Sua licença para matar. O agente não tem receio nenhum em matar aqueles que trazem perigo a sua vida ou atrapalham sua missão, assim como mantém seu humor britânico, com frases irônicas e sarcásticas.

É claro que um roteiro dinâmico precisa de um artista com essa característica para ilustrá-lo e não há dúvidas que Jason Masters foi uma escolha muito acertada. Ele tem sacadas narrativas muito legais, como a utilização de quadros que simulam Raio-X para que você veja como as balas atingem um alvo, e uma dinâmica de movimento que fica bastante evidente nas cenas de luta. Você consegue sentir as coisas se moverem pela página e isso é um mérito muito grande.

Esta edição faz parte do selo Prime Edition da editora Mythos. Este selo tem foco em edições luxuosas, o que fica evidente ao verificar o belo acabamento deste quadrinho. Capa dura, papel de boa gramatura, capa com detalhes em verniz e que já diz muito sobre a obra. No quesito revisão, a edição também está ótima, ao menos não percebi nenhum erro durante a leitura.

Ellis escreveu mais um arco da série, chamado Eidolon, que eu espero que a Mythos também publique por aqui. Acredito que com as promoções que a editora está fazendo com a publicação (eu mesmo paguei baratinho na minha), a edição alcance um bom índice de vendas.

Se você já é fã do personagem ou simplesmente está em busca de uma boa história, James Bond 007: VARGR é uma excelente escolha. Ao finalizar a leitura, é impossível não querer se tornar um agente secreto ou, ao menos, fazer uma maratona dos filmes. A escolha é sua.

Para comprar esse quadrinho clique AQUI. Ao comprar pelos nossos links você nos ajuda a continuar trazendo Justiça pra Cultura Pop! Ah, e sempre tem um desconto bem legal 😉

Ficha técnica

Editora : Mythos
Ano de lançamento: 2017
Páginas: 128
Preço: R$ 69,90
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas.

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.