Marada – A Mulher Lobo – Um excelente exemplar de Espada e Feitiçaria!

Se você gosta de quadrinhos, acredito que é impossível que nunca tenha ouvido o nome de Chris Claremont. Ele é o responsável pelos roteiros das sagas mais clássicas dos X-Men e por alçar a equipe mutante ao status de mais vendida da Marvel, além de também ter escrito histórias do Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, entre outros personagens. Em Marada – A Mulher Lobo, Claremont fugiu um pouco dos seus trabalhos mais conhecidos, utilizando uma abordagem mais adulta para narrar um grande épico do gênero Espada e Feitiçaria.

Para contar essa história, Claremont se uniu ao artista John Bolton, famoso por uma belíssima arte pintada, tendo feito colaborações com outros grandes nomes como Clive Baker e Neil Gaiman. A HQ foi publicada pelo selo Epic da Marvel, iniciativa editorial voltada a um publico mais adulto e com o atrativo de manter os direitos dos personagens com os criadores. Muito devido a isso, Bolton pôde produzir a história em um ritmo mais europeu, mantendo um cuidado apurado com a arte e apresentando uma das mais belas histórias do gênero.

A HQ narra a história de Marada Starhair, uma nobre guerreira romana descendente de um César e conhecida por sua bravura em combate e sua habilidade com a espada. Na primeira história, de um total de três, acompanhamos a missão de Donal MacLlanllwyr, guerreiro de uma mística região que remete a Ávalon, focada em resgatar Marada, que havia sido sequestrada. Ao encontrar a guerreira de cabelos prateados algo mudou: Ela não é sequer sombra da Mulher temida por todos guerreiros. Algo muito grave aconteceu e ao longo da história vamos descobrindo qual o grande trauma que assombra Marada.

É bastante interessante perceber como o texto de Claremont está mais refinado nesta HQ, já que, como mencionei antes, ela é voltada a um público mais adulto e esse tipo de texto é inerente ao gênero da história. Não que histórias como Dias de um Futuro Esquecido ou a Saga da Fênix Negra sejam infantis, mas aqui Claremont procura instaurar um clima épico à história, ao mesmo tempo em que trata temas raramente vistos em quadrinhos de linha (ainda que ele tenha explorado alguns desses temas em sua passagem nos X-Men). Um outro ponto no mínimo curioso é que o visual da Marada parece ter influenciado o de Daenerys Targaryen nas Crônicas do Gelo e Fogo. Será que George R. R. Martin se inspirou nessa história para criar a personagem? Bom, ele tem um texto na contracapa da HQ…

Realmente gosto de como Claremont construiu seu roteiro e em como seu texto possui um ar mais poético, mas acredito que seja impossível não afirmar que o maior destaque do quadrinho é a belíssima arte de John Bolton. O artista apresenta um desenho que enche os olhos, ao mesmo tempo em que garante uma boa narrativa para a história, algo essencial nas frequentes cenas de combate presentes na trama. As criaturas que ele cria, os belíssimos cenários e até mesmo o visual da protagonista possuem um apuro técnico impressionante, algo que mostra que tudo foi muito bem pensado. E claro, as cores do quadrinho também são excelentes. Aliás, é interessante notar a mudança na paleta entre as histórias, já que as duas primeiras foram originalmente publicadas em preto e branco e por isso necessitavam de um tratamento diferente.

Quanto à edição, o pessoal do Pipoca & Nanquim novamente merece elogios. Esta é provavelmente a edição mais bonita publicada este ano por aqui, com acabamento em capa dura, formato gigante, papel brilhoso de alta gramatura e um acabamento dourado no miolo que chama bastante a atenção. Além dos aspectos físicos, o trabalho de revisão também foi muito bem feito e isso sempre deve ser ressaltado, principalmente por termos tantos erros nas publicações de hoje em dia. Há também diversos extras que trazem algumas curiosidades sobre a produção das histórias e sobre como foi a colaboração entre os artistas.

Marada – A Mulher Lobo é uma publicação que agrada desde o fã de histórias de fantasia até os apreciadores de histórias de super-heróis. Espero que um dia esses dois talentosíssimos artistas voltem a trabalhar com esta personagem e nos tragam outras histórias épicas. Enquanto isso, vamos aproveitar o que já foi publicado e apreciar este ótimo trabalho.

Para comprar esse quadrinho clique AQUI. Ao comprar pelos nossos links você nos ajuda a continuar trazendo Justiça pra Cultura Pop! Ah, e sempre tem um desconto bem legal 😉

Ficha técnica

Editora : Pipoca & Nanquim
Ano de lançamento: 2018
Páginas: 112
Preço: R$ 54,90
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.