O Anel do Nibelungo – Uma aula de adaptação!

Já parou pra pensar em como a mitologia nórdica está intrinsecamente ligada à nossa cultura? As histórias dos deuses nórdicos estão presentes em diversas mídias, como livros, filmes, quadrinhos, games e música, seja diretamente, com a história de personagens conhecidos como Thor, Odin e Loki, seja de forma tangencial, como feito por Tolkien em O Hobbit e Senhor dos Anéis.  Foram essas histórias que influenciaram Richard Wagner a compor a ópera O Anel do Nibelungo (Der Ring des Nibelungen), que, dividida em quatro ciclos, conta a história do anel mágico forjado pelo anão Alberich (o Nibelungo do título) utilizando o ouro roubado do rio Reno, que desperta o interesse de diversos seres, entre eles Wotan (um dos nomes de Odin), o chefe dos deuses, e desencadeia uma série de eventos que levará ao Ragnarok. Foi essa história que P. Craig Russel, conhecido por trabalhos em Sandman e uma adaptação de Elric, adaptou para o quadrinho de mesmo nome.

O quadrinho, assim como a ópera, é dividido em quatro capítulos sendo eles O Ouro do Reno, A Valquíria, Siegfried e Götterdämmerung. Nessas histórias vemos o surgimento de heróis, a derrota de muitos, a fúria dos deuses, a maldade do ser humano, a origem e o fim do mundo. Histórias grandiosas, inspiradoras, que deixam o leitor estupefato e que agradam qualquer admirador de uma boa história de fantasia.

Só há uma palavra para descrever o trabalho de adaptação feito por P. Craig Russel: Incrível. É impressionante como o artista consegue transcrever música em quadrinhos. Nos extras da publicação o autor explica como adaptou sua narrativa para seguir o mesmo ritmo das músicas presentes na ópera, procurando soluções pouco usuais para transmitir as mesmas sensações que Wagner procurou expressar em sua obra. Há também um cuidado para que os personagens se posicionem e se expressem como atores em uma peça de teatro, o que torna tudo ainda mais fiel ao material original. Claro, tudo isso fica ainda mais fabuloso graças à belíssima arte de Russel, que possui um traço muito elegante. Simplesmente impressionante.

Bom, dito tudo isso, você pode pensar que o quadrinho não possui nenhum defeito e é aí que você se engana, meu caro. Infelizmente, há um aspecto que quase coloca tudo a perder: O terrível trabalho de cores. Sério, as cores desse quadrinho, feitas por Lovern Kindizierski, estão sem dúvidas entre as mais horrorosas que eu já vi, fazendo coisas como Cavaleiro das Trevas 2 parecerem belíssimas. É tudo muito chapado, com degradês que parecem terem vindos dos primórdios do Photoshop, funcionando como um verdadeiro entrave para que o leitor se sinta imerso na história. É triste como tenham permitido um trabalho tão horroroso, que quase destrói a arte de Russel. Eu definitivamente preferia que tivesse sido publicado em preto e branco, na falta de um colorista competente.

Outro ponto que causa estranhamento é a amenização da violência no quadrinho. É sabido que as histórias da mitologia nórdica são repletas de uma violência bem incisiva e no quadrinho isso é bastante amenizado, seja nas batalhas ou na forma em que mortes ocorrem. Entendo que isso talvez aconteça, pois o autor e a Dark Horse (editora original do quadrinho) decidiram que queriam um público mais amplo pra obra, mas isso traz um certo distanciamento da temática proposta.

O trabalho do pessoal da editora Pipoca & Nanquim na publicação nacional é bastante competente. A edição possui capa dura, papel de boa qualidade, um fitilho marcador, extras que detalham o processo de adaptação feito por pelo autor e a publicação das capas originais. O trabalho de revisão também é considerável, pois não há nenhum erro perceptível no quadrinho, algo que sempre deve ser valorizado.

Se você é fã de boas histórias de fantasia e quer acompanhar um dos mais interessantes processos de adaptação já feitos, O Anel do Nibelungo é uma boa pedida. Os problemas do quadrinho incomodam, mas não ofuscam sua qualidade. Merece estar em sua estante.

Para comprar esse quadrinho clique AQUI. Ao comprar pelos nossos links você nos ajuda a continuar trazendo Justiça pra Cultura Pop! Ah e sempre tem um desconto bem legal 😉

Ficha Técnica

Editora : Pipoca e Naquim
Ano de lançamento: 2018
Páginas: 448 páginas
Preço: R$109,90
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.