O Imortal Punho de Ferro – As Setes Cidades Celestiais : Mortal Kombat com armas imortais!

Dando prosseguimento à fase escrita por Ed Brubaker e Matt Fraction (leia o review do primeiro encadernado AQUI), a Panini lançou O Imortal Punho de Ferro – As Setes Cidades Celestiais. Está é uma excelente fase que mistura muito bem os elementos místicos do personagem com seu aspecto mais urbano.

A cada 88 anos ocorre um torneio entre as armas imortais das Sete Cidades Celestiais em um plano místico formado pela união de todas as cidades. Ao mesmo tempo que Danny Rand participa do torneio, também está preocupado pelo sequestro de seu amigo e sócio Jeryn Hogarth por Xao, um afiliado da Hydra que pretende atacar Kun Lun. Enquanto ele defende a honra de Kun Lun no torneio e tenta salvar a vida de seu amigo, Danny também acaba desvendando novos poderes e passa a conhecer mais sobre o legado do Punho de Ferro.

As Armas Imortais!

O torneio nos moldes do Mortal Kombat é muito divertido, ainda mais quando vamos descobrindo as habilidades das outras armas imortais. A arte de David Aja (que infelizmente só desenha as partes do torneio) torna as lutas ainda mais interessantes, trazendo muita dinâmica e movimentação para os desenhos.

A habilidade dos roteiristas em misturar diversas tramas é impressionante. Com muita competência eles contam a trama do torneio, a busca de Luke Cage, Collen Wing e Misty Knight por Danny e Jeryn Hogarth, além das histórias sobre o legado do Punho de Ferro.

Aliás, esta parte sobre o legado é uma das coisas mais interessantes dessa fase e que agrega muito à mitologia do personagem. Conhecemos ainda mais sobre a história de Orson Randall, o Punho de Ferro anterior à Danny e que já havia aparecido no primeiro volume da série, e suas ligações com a família Rand. Acompanhamos todo o treinamento do pai de Danny para se tornar o Punho de Ferro, além da construção de sua amizade com Davos, o Serpente (agora Fênix) de aço.

Fraction e Brubaker também exploram a política de Kun Lun e os planos bem controversos do governante da cidade, Yu-Ti. Vou parecer repetitivo, mas novamente ressalto a habilidade da dupla de roteiristas em misturas diversos temas, diversas tramas e conseguirem trabalhar muito bem todas elas. Em nenhum momento a história fica corrida ou mal contada.

Eu diria que o único ponto negativo deste volume é que Davi Aja não o desenha em sua totalidade. Os outros artistas até que cumprem bem a sua função (tirando o artista que desenha a edição anual,o renomado Howard Chaykin, que está muito mal na edição), mas nenhum deles apresenta o brilhante senso de narrativa de Aja, que pra mim é um dos melhores artistas em atividade atualmente.

Se você ficou decepcionado com a série de TV ou quer conhecer melhor o personagem, esta fase é mais do que recomendada. Aqui você descobrirá a razão do título de Arma Viva que o Punho de Ferro possui.

Ficha Técnica

Editora: Panini
Ano de lançamento: 2016
Páginas: 220
Preço: R$28,90
Onde encontrar: Bancas de jornal e lojas especializadas

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.