Recomendação da Semana – Carrapato

Bem-vindos a mais uma Recomendação da semana, a coluna na qual recomendamos livros, HQs, filmes, séries e álbuns que achamos interessantes. E hoje recomendarei uma HQ nacional pra quem é fã de filmes de ação e procura algo divertido e descompromissado para ler. Falarei sobre Carrapato, HQ escrita e desenhada por Junior Cortizo e Tony Brandão.

O nome de Cortizo não é novidade aqui no site, já que recomendei outro trabalho dele chamado A Tribo nesta coluna. Carrapato nada mais é do que um crossover entre esta equipe criada por Cortizo e os personagens Aline e Perseu, criações de Tony Brandão.

A história se passa no Rio de Janeiro e começa com o assalto de uma carga transportada pela empresa Tadashi Tecnológica, que como o nome sugere, é uma grande empresa de tecnologia, que executa algumas atividades bem suspeitas por debaixo dos panos. No andamento da história descobrimos que o carregamento continha uma potente arma biotecnológica que ao cair nas mãos de uma equipe de traficantes traz um grande perigo à cidade.

Este evento fará com que a dupla de irmãos Alex (Perseu) e Aline, super-seres que tentam levar uma vida comum no Rio de Janeiro, se relacionem com a Tribo (Para saber mais sobre a equipe, leia este texto), uma equipe paramilitar de superseres que estava investigando a Tadashi Tecnológica e monitorando as pessoas relacionadas ao roubo da arma biológica. Como é padrão, estes indivíduos se estranham no primeiro encontro mas unem suas forças para impedir a ameaça que assola o Rio de Janeiro.

Como eu mencionei antes, a HQ é bem despretensiosa e tem o foco apenas de contar uma boa história de ação, mesmo que em algumas partes ela faça algumas críticas sociais relevantes ao nosso país, como à corrupção dos políticos e a situação perigosa na qual as favelas do Rio do Janeiro se encontram muitas vezes. Você vai encontrar mulheres belíssimas, homens super fortes, muito tiroteio, porrada e sangue nas páginas deste quadrinho. Por mais que estes sejam clichês frequentes neste tipo de história, a dupla de artistas consegue manter tudo muito divertido, fazendo com que você não largue a HQ até chegar ao seu fim.

Além do roteiro interessante, a arte de Brandão e Cortizo é bastante eficiente, transmite muito bem a ação que eles querem passar. Especificamente sobre Cortizo, é notável a evolução de sua arte com relação do primeiro volume de A Tribo (digo isto pois o segundo volume foi publicado após carrapato e este apresenta uma evolução ainda maior).

Claro que o quadrinho tem seus problemas. Falta uma apresentação prévia para que conheçamos melhor os personagens e pra mim seu maior ponto negativo é a falta de uma revisão mais apurada. É possível encontrar diversos erros no texto, seja de digitação ou de concordância mesmo. Claro que é completamente compreensível, já que este é um trabalho completamente independente e que não foi possível a contratação de um editor ou revisor profissional, mas mesmo assim fica o toque para mais cuidado nesta parte nos próximos trabalhos.

Carrapato é uma HQ pra você que procura algo para se divertir, que te relembre os clássicos filmes de ação dos anos 80. É importante ressaltar que o trabalho apresenta uma boa qualidade gráfica e possui um preço acessível. Dê uma chance para o material, garanto que você não vai se arrepender.

Ficha técnica

Editora : Publicação Independente
Ano de lançamento: 2014
Páginas: 96
Preço: R$ 25,00
Onde encontrar:Entre em contato com os autores pelo email juniorcortizo@gmail.com e tonynb2@gmail.com e acesse o site http://atribohq.blogspot.com.br/ para mais informações.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.