Recomendação da Semana – O Quinto Beatle

Bem-vindos a mais uma Recomendação da Semana, a coluna na qual recomendamos livros, HQs, filmes, séries e álbuns que achamos interessantes. A recomendação de hoje envolve duas de minhas grandes paixões: Beatles e quadrinhos. Hoje recomendarei O Quinto Beatle, quadrinho escrito por Vivek J. Tiwary e desenhada por Andrew C. Robinson, com pequenas colaborações de Kyle Baker.

Se você também é fã do quarteto de Liverpool, deve saber que o posto de Quinto Beatle é “disputado” por alguns nomes. Temos o lendário produtor George Martin, que fez a banda soar como conhecemos, Pete Best, o primeiro baterista da banda, Stuart Sutcliffe, grande amigo de John Lennon e primeiro baixista dos Beatles, entre outros nomes. Mas, entre todas essas figuras que fizeram parte da história dos Beatles, Brian Epstein, o empresário da banda de seus primórdios até seu falecimento em 1967, tenha sido a pessoa mais importante em transformar os Beatles em um dos maiores fenômenos culturais do século XX.

Brian era um pequeno empresário de Liverpool, dono de uma loja de discos relativamente famosa na região. Vindo de uma família judia bastante tradicional, ele não tinha grandes aspirações além de cuidar dos negócios da família, até que em 1961 sua vida seria transformada ao ir até o Cavern Club e assistir o show de uma banda de garotos que mudaria o mundo.

Epstein era uma figura complexa, um empresário musical bastante bem-sucedido, mas também uma pessoa que sofria bastante, já que ele era homossexual em uma época em que isso era proibido por lei no Reino Unido e tinha que se reprender, sofrendo com problemas como ansiedade e insônia e sendo tratado por médicos que julgavam sua preferência sexual como um distúrbio.

É este personagem profundo que Vivek J. Tiwary procura explorar em O Quinto Beatle, misturando a história real com liberdade criativa, um pouco de surrealismo e humor em alguns momentos. Posso afirmar com certeza que ele atingiu este objetivo plenamente, fazendo com que o leitor se afeiçoe à figura de Epstein, entenda todos os seus problemas, partilhe de todos os seus momentos felizes ao lado de John, Paul, George e Ringo, mas também sinta na pele todo seu sofrimento por não poder mostrar ao mundo a pessoa que ele é totalmente.

A forma em como o roteiro trata os Beatles também é bastante interessante, eles são coadjuvantes na história, mas são importantíssimos ao trazer humor à certas passagens e ao fazer certo contraste com Brian em algumas cenas. Outras figuras reais também são abordadas de maneira curiosa, numa mistura de humor negro com representação caricaturesca, como o Coronel Parker, famoso empresário de Elvis Presley, e Ed Sullivan, um dos maiores apresentadores de TV da história dos EUA e no qual os Beatles se apresentaram no programa e se tornaram sucesso na América.

A arte de Andrew C. Robinson é bastante realista, ainda que um pouco estilizada, e funciona muito bem para a abordagem que o roteiro propõe. O artista consegue alternar muito bem sua narrativa entre o tradicional e o surrealismo quando necessário. As inserções completamente cartunescas de Kyle Baker são muito bem-vindas para relatar momentos bem tensos, como a famosa turnê dos Beatles pelas Filipinas, em que todos os membros da equipe da banda sofreram um sério risco à vida.

O quadrinho foi publicado por aqui pela editora Aleph, famosa pela publicação de livros de ficção científica, que fez um ótimo trabalho. A edição possui capa cartão de boa qualidade, orelhas, papel de alta gramatura e extras muito interessantes, que ajudam o leitor a entender qual o tipo de abordagem os autores procuravam utilizar com a obra. É uma pena que a linha de quadrinhos da editora tenha durado pouco, é sempre bom ver publicações que fogem do comum sendo publicadas.

O Quinto Beatle é um quadrinho indispensável para qualquer um que se denomine fã dos Beatles (poucas pessoas não são, certo?). Misturando fatos com liberdade criativa, o quadrinho diverte e ao mesmo tempo nos ensina sobre uma figura que muitas vezes é esquecida quando falamos sobre a indústria da música. Você já leu o quadrinho? O que achou? Deixe sua opinião aí nos comentários.

Para comprar esse quadrinho clique AQUI. Ao comprar pelos nossos links você nos ajuda a continuar trazendo Justiça pra Cultura Pop! Ah e sempre tem um desconto bem legal 😉

Ficha técnica

Editora : Aleph
Ano de lançamento: 2014
Páginas: 168
Preço: R$ 66,90

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.