Resenha: Coleção Histórica MARVEL: O Homem-Aranha – Volume 11

Saudações, Justiceiros Geeks!

Conforme prometido, vamos continuar nossa série de resenhas da Coleção Histórica Marvel.

Hoje iremos falar do Volume 11 da Coleção do Homem-Aranha, que é focado no personagem Harold “Harry” Osborn, filho de Norman Osborn, – o Duende Verde original , cuja resenha da CHM que o aborda você confere aqui – e colega-de-classe de Peter Parker, nosso Homem-Aranha.

Harry e Peter se conheceram na faculdade, onde foram colegas de quarto durante algum tempo. Durante essa época, ele chegou a engatar um relacionamento com Mary Jane Watson, em paralelo ao namoro de Peter e Gwen Stacy.

Vindo de uma família desestabilizada, tendo perdido sua mãe quando era adolescente e um pai obcecado por poder, Harry acabou se envolvendo seriamente com LSD como uma forma de fuga da realidade.

Na noite em que Gwen Stacy morreu, Harry estava sob intenso tratamento do vício, mas saiu de casa e acabou por encontrar o Duende Verde morto. Tamanha foi a surpresa do rapaz quando, ao remover o uniforme do vilão, jazia o corpo de seu pai. A partir daquele momento, Harry jurou vingança ao cabeça-de-teia, e é aqui que essa edição começa.

Nossa primeira história do encadernado gira em torno de um assassinato em frente ao apartamento de Mary Jane e da luta do homem-aranha em proteger a testemunha. Em paralelo a esse plot, vemos um Harry cada vez mais ensandecido, espreitando os combates do heroi e não conseguindo pensar em outra coisa que não seja vingança.

Além disso, a polícia de Nova York enxerga o Aranha como criminoso, acusado de assassinato da jovem Gwen Stacy, e em uma cena de resgate notamos como essa morte marcou sua vida e a habilidade do protagonista em aprender com seus erros.

Na nossa próxima história temos o clímax da loucura de Harry: Uma bomba explode no apartamento deles, o que teria sido fatal se não fosse o sentido-aranha. Atormentado pela ideia do retorno do Duende Verde, já que esse era o único de seus inimigos que conseguiu descobrir sua identidade secreta, o Amigão da Vizinhança faz uma visita ao antigo laboratório de Norman Osborn, apenas para encontrar seu velho amigo Harry vestido com o vilão, e ciente da identidade secreta do Aranha e um combate se desenrola.

Em seu próximo ataque, o Duende arma uma cilada para o teioso, aprisionando a parente próxima – tia May -, a atual namorada de Peter – Mary Jane -, e o amigo Flash Thompson em três pontos opostos de Nova York. Junto aum deles há uma bomba nuclear prestes a explodir, de modo que ele precisará escolher a quem salvar.

Em nossa última história, vemos uma tia May sendo hospitalizada por ter o coração frágil e fazer muito esforço durante um protesto pelos direitos dos idosos. Durante toda a história vemos a preocupação com o estado de saúde da senhora sempre desestabiliza Peter Parker.

O Duende Verde retorna à ativa, buscando comandar o crime e tomar o lugar do Cabelo de Prata, o mafioso mais poderoso em Nova York no momento da história. Peter se lembra que após a reabilitação, a noiva de Harry, Liz Allen, o abandonou, e acredita que isso possa ter desencadeado o retorno da sua insanidade.

Num combate violento com o duende, surge um segundo Duende Verde e os dois vilões se enfrentam. A revelação do novo duende é surpreendente! No fim da trama Harry vence a luta e destrói seu uniforme, como prova de que superou a loucura.

Concluindo: Harry Osborn é um personagem importante na mitologia do Amigão da Vizinhança, aparecendo em toda adaptação do heroi, seja para o cinema (durante toda a trilogia antiga do Homem-Aranha de Sam Raimi, onde foi interpretado pelo ator James Franco, e no filme mais recente – O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro), seja nas animações.

Harry também traz consigo uma metáfora interessante: Com determinação podemos superar nossas fraquezas e perdas, e ser alguém melhor do que já fomos no passado. Além disso, viver à sombra de nossos antepassados (ou de qualquer outra pessoa) é um erro; se inspirar neles é muito bom, mas sem se perder e esquecer que temos nossa identidade própria.

E assim se encerra mais um review da CHM – Homem-Aranha.  THAT’S ALL, FOLKS!!!

Ficha Técnica

Editora: Marvel Comics / Panini Comics
Ano de Lançamento: 2015
Edições contempladas: The Amazing Spider-Man #127-128, #136-137, #176-180
Páginas: 164
Preço de capa: R$ 22,90
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas, ou no site da Panini

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Ricardo Sousa

Programador Mobile, comediante falho e co-fundador do Justiça Geek. Fissurado pelo mundo da fantasia e especificamente dos quadrinhos, acha que o mundo real é monótono demais e gostaria de ter superpoderes. Entretanto, o único superpoder que possui é o de fazer piadas extremamente infames, a ponto de tirar os amigos do sério e quebrar o medidor “prassômetro”. Além disso, vive se surpreendendo com os mistérios da mente humana, e encontra nos quadrinhos todas as metáforas e exemplos de vida que precisa para viver bem.

Latest posts by Ricardo Sousa (see all)