MAXIMUS FESTIVAL: O Brasil no caminho dos grandes festivais de metal?

Fala galera, primeiramente meu nome é Vinícius Cabral, e esta é minha primeira matéria aqui no Justiça Geek, cuidarei da parte de música e shows! Eu sou um amante do Heavy Metal e fã da cultura Geek, assim como muitos de vocês. Bem, tive a experiência de ir algumas vezes no famoso festival Alemão Wacken Open Air (e sou apaixonado por lá) e estou com viagem marcada para a próxima edição, entre outros festivais como o Brutal Assalt (Republica Checa), Hell Fest (França) e se eu tiver coragem e $$, Full Metal Montain (Áustria). Quero trazer para vocês a experiência que tive nestes festivais, cobertura dos próximos grandes shows, comentários, opiniões e compartilhar experiência acima de tudo. Pois bem, vamos à matéria!

Hellfest Oficial

Dia 7 de setembro passou, e com ele foi realizada a primeira edição do Maximus Festival no Autódromo de Interlagos em São Paulo, organizada pela MOVE CONCERTS, contando com um line up invejável com nomes de peso, sendo: Hellyeah; Hollywood Undead; Black Stone; Cherry; Shinedown; Steve Seagulls; Doctor Pheabes; Raveneye; Project46; Far From Alaska; Woslom; Ego Kill; Talent; Bullet For My Valentine; Halestorm; Disturbed; Marilyn Manson e Rammstein.

www.maximusfestival.com

Segundo os idealizadores do evento, o festival seguiria o mesmo estilo do famoso Hellfest que acontece na frança, tradicional festival europeu, porém, será que o que foi prometido foi cumprido? Será que o Brasil está no caminho certo para realização de grandes festivais de metal como o Hellfest ou o famoso Wacken Open Air (que ocorre na Alemanha)? A resposta é sim! Está sim no caminho certo! Ainda não temos um grande festival de Metal, porém estamos no caminho e o Maximus assim nos demonstrou, porém, como todo marinheiro de primeira viagem, muitos erros e acertos aconteceram. Vamos para uma análise técnica dos pontos positivos e negativos comparado com grandes festivais Europeus, obvio que cada um nas suas devidas proporções.

R7

Bem, o evento foi muito bem organizado, desde a entrada até a limpeza impecável. A entrada foi supertranquila, ao sair da estação de trem, as ruas estavam fechadas para a circulação de carro, o que ajudava para uma caminhada tranquila até a chegada do autódromo. Sistema de entrada e consumação com a pulseira cashless, bem, acredito que esse foi o ponto mais alto da organização do evento, durante todo o evento não precisei manusear nenhuma vez a minha carteira, o sistema de cashless funcionou super bem! Confesso que fiquei bem preocupado, imaginei que poderia acontecer falhas ou algo to tipo, porém estava errado, o sistema foi extremamente funcional, tanto para o consumidor quanto para os vendedores, certa hora eu comprei uma cerveja com um ambulante e o questionei se ele estava gostando do sistema, segundo ele, foi o melhor sistema com o qual ele já trabalhou.

Oferta de alimentos foi boa, tinha alguns foodtrucks no que seria uma praça de alimentação, os preços eram na média no que já praticado em outros shows ou festivais. O festival contava com 3 Ambulâncias estrategicamente posicionadas do meio do festival, equipe preparada e pronta, contando com uma equipe completa de paramédicos do Hospital Sancta Maggiore PERFEITO, Ambiente bem seguro contando com muitos seguranças, todos também bem posicionados e educados. Decoração e montagem de palcos, estes estavam bem bonitos e bem legais, os dois palcos principais estavam bem montados e bem decorados, todos contavam com telões que ajudavam na visualização do espetáculo, som excelente e boa iluminação. Shows extremamente pontuais, não houve grandes atrasos para o início das apresentações, o festival em sim também terminou cedo, o que ajudou muito para poder pegar o último trem/metro na volta. Nota 10 em organização!

Agora vamos ver os pontos negativos. Bem, o festival em si não estava lotado, de acordo com rumores, parece que houve sobra de 30% dos ingressos, neste caso não seria bom rever a politica de preços? Acredito que seria muito melhor casa lotada e ingressos baratos e esgotados, em vez de ingressos caros e sobra de 30%, a mesma coisa se aplica a produtos oficiais. Uma camiseta Oficial do Maximus por uma bagatela de R$120,00!! Eu não paguei isso na camiseta do Iron Maiden oficial aqui no Brasil, quanto mais numa camiseta de um festival que mal conhecia, nem mesmo a camiseta do Wacken na conversão do Euro a R$ 4,15 sairia nesse preço, pasmem, o moletom oficial do Maximus estava custando mais de R$320,00 reais! Antes de ir embora reparei na loja de produtos oficiais para ver o quanto tinha vendido, bem, foi ridículo, estava lotado de camiseta e moletom. Não seria muito melhor um preço mais justo e terminar o festival com a loja esgotada? #ficadica.

Wacken Oficial

Outra coisa que a organização pecou e muito foram nos BANHEIROS! Sim, pouca oferta de banheiros, e não existia nenhum lugar onde se podia lavar as mãos, isso foi péssimo, eu mesmo tive problema com isso, quando eu estava curtindo um dos shows, um bêbado derrubou cerveja no meu braço, cerveja normalmente fica peguenta, eu estava agoniado com aquilo, procurei qualquer lugar para me lavar, não achei NADA, só me limpei com um álcool em gel fornecido pelos foodtrucks, essa foi uma mancada e tanto da organização.

Para um festival que se espelha em grandes nomes para o futuro, está no caminho certo! Ainda falta bastante para chegar aos pés de um HellFest ou um Wacken, todavia, está aprendendo muito bem! Tem tudo para dar certo e ficamos com esta expectativa de crescimento em novas edições.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Vinicius Cabral

Latest posts by Vinicius Cabral (see all)