Quadrinhos: Por onde começar? – Especial Homem-Aranha

Com o eminente lançamento de Homem Aranha – De Volta ao Lar, temos diversos expectadores interessados em conhecer o personagem nos quadrinhos, assim como sempre acontece quando um filme sobre personagens de HQs é lançado. Para ajudar esse pessoal, elaborei uma lista com quadrinhos bem interessantes para quem quer se aventurar nas histórias do Amigão da Vizinhança.

Lembrando que essa é uma lista pro pessoal que está começando, então não estranhe se alguma HQ que você curte não aparecer na lista. Além disso, histórias como A Morte de Gwen Stacy e a Última Caçada de Kraven não estarão aqui, pois além de estarem presentes em qualquer lista encontrada na internet, também não são pontos de partida apropriados para quem quer começar a conhecer a história de Peter Parker nos quadrinhos. Sem mais enrolações, vamos à lista.

Amazing Fantasy 15

Bem, se você quer conhecer a origem do Aranha nos quadrinhos nada melhor que ler a primeira história publicada do personagem. Escrita por Stan Lee e com arte e colaboração no roteiro de Steve Ditko, esta primeira história já nos é apresenta tudo que torna o Aranha tão memorável. O amor do personagem pela Tia May e o Tio Ben, o assassinato de seu tio e o sentimento de culpa que ele carrega até hoje por esta morte. Temos também a primeira aparição da frase “Com grandes poderes vem grandes responsabilidades” que guia o herói até os dias de hoje e que não foi dita pelo Tio Ben (como você descobrirá ao ler). Um dos marcos das histórias em quadrinhos.

O garoto que colecionava Homem-Aranha

Escrita por Roger Stern e desenhada por Ron Frenz, está é uma história um pouco diferente sobre super-heróis. Aqui o Homem-Aranha irá conhecer o seu fã número um e aprenderá uma grande lição junto com o leitor.

Nesta história nós aprendemos o valor de um herói e a importância do Homem-Aranha, não só ao que tange às suas histórias mas também ao que o personagem representa para as pessoas em todo o mundo. Acredito que você derramará uma lágrima ao terminar a leitura.

O Homem-Aranha de J. Michael Straczynski

Essa é uma recomendação um pouco polêmica, pois esta fase do personagem tem muitos detratores. Bem, é verdade que seu encerramento com o famigerado pacto com o Mephisto é um dos pontos mais baixos pelos quais o personagem já passou, mas também é importante dizer que Straczynski não foi o responsável direto por isso.

Este foi o primeiro run do personagem que li por completo e um dos aspectos que mais me cativou foi a clara evolução de Peter Parker. O personagem se tornou professor, com o objetivo de devolver a comunidado do bairro em que cresceu um pouco do aprendizado que obteve, reatou seus laços com Mary Jane (que haviam sido desfeitos por uma série de eventos que não vem ao caso), se tornou um Vingador, foi morar na torre dos Vingadores com a família, revelou sua identidade ao mundo e teve que pagar um preço alto por isso.

Aconteceu muita coisa na vida do personagem, o que fez ele amadurecer e evoluir sem a necessidade de torná-lo rico ou outra descaracterização do tipo (sim, estou falando do Dan Slott rs). É verdade que teve toda a trama dos poderes totêmicos, mas este é um desvio pequeno se considerarmos toda a história muito bem conduzida por Straczynski.

É complicado encontrar essa série completa para ler, que é excelente entre os arcos De Volta Ao Lar (do qual o filme pegou o nome emprestado) e a Volta do Uniforme Negro, mas você pode encontrar facilmente os dois primeiros arcos que a Salvat republicou recentemente e entender o porquê desta fase ser tão legal. Leitura mais que recomendada.

A Morte de Jean DeWolff

Bem, eu disse que ia evitar histórias manjadas, mas está é uma das melhores histórias já publicadas do personagem. Aqui acompanhamos a investigação da morte da capitã de polícia Jean DeWolff, personagem recorrente das histórias do Homem-Aranha entre os anos 70 e 80.

A pegada da história é bem sombria e triste, algo estranho se considerarmos a personalidade do Aracnídeo mas não é algo inédito na história do personagem. Vemos como ele se comporta diante de mais uma perda, sua fúria quanto ao acontecimento e a sensação de incapacidade por não tê-lo evitado. Tudo muito bem contado pelo excelente roteiro de Peter David e a arte competente de Rick Bucker e Sal Buscema. Ah e também tem uma participação bem legado do Demolidor na história.

Aproveita que não é difícil encontrar a versão lançada pela Panini há alguns anos e corra atrás da sua edição.

Homem-Aranha – Azul

Nessa história Peter relembra sua relação com Gwen Stacy ao narrá-la para um gravador, simulando uma conversa com sua falecida ex-namorada. Os autores procuram recontar alguns acontecimentos da clássica fase Lee/Romita dando grande enfoque a relação entre Peter e Gwen.

Uma história sensível e que demonstra todo o amor de Peter por sua ex-namorada. Considero essa uma das melhores histórias do Aranha e é relativamente fácil encontrá-la, já que a Salvat recentemente republicou esta história em sua coleção de Graphic Novels da Marvel.

Homem-Aranha nunca mais

Por falar na fase Lee/Romita, vou fechar a lista comentando está que é um dos grandes expoentes desta fase.

Nessa história Peter Parker questionará seu papel como herói, ao perceber que não consegue equilibrar sua vida social com as atividades advindas de sua atuação como Homem-Aranha. Interessantíssimo como a dupla responsável por essa história explora um tema pouco comum nos quadrinhos da época. O quadro em que o Peter Parker joga seu uniforme no lixo é icônico e inclusive já foi referenciado nos cinemas no segundo filme da trilogia dirigida por Sam Raimi.

A história foi recentemente lançada pela Salvat, então você não encontrará grandes dificuldades para encontrá-la.

E esta foi nossa lista de recomendações sobre o Amigão da Vizinhança. Gostaria de adicionar também Tormento e Caído Entre os Mortos, histórias já recomendadas em nossa coluna de recomendações semanais e que você pode conferir com mais detalhes dando uma olhada lá.

Já leu alguma dessas histórias? Curtiu a lista? Deixe sua opinião aí nos comentários.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.