Recomendação da Semana – Novos Titãs: O Contrato de Judas

Teen Titans, GO!!!

Saudações, Justiceiros e Justiceiras Geeks! Essa semana a recomendação está sob minha batuta, e venho indicar pra vocês o sensacional arco da equipe “mirim” da DC Comics, os Novos Titãs: O Contrato de Judas.

Para aqueles que ainda não sabem, os Novos Titãs são uma equipe originalmente formada pelos sidekicks dos grandes medalhões da DC: Robin (do Batman, e líder da equipe por ter sido o primeiro e maior sidekick a surgir nas HQs), Aqualad (parceiro-mirim do Aquaman), Kid Flash (do Flash – Jura?) e Moça-Maravilha (isso já está ficando chato). Ao longo do tempo foram se unindo à equipe outros membros, como o Ricardito (Speedy no original, sidekick do Arqueiro Verde), e personagens foram criados exclusivamente para a saga, como EstelarRavena (sempre achei esse nome uma tradução muito idiota, já que o nome original é “Raven”, ou seja, Corvo, que tem tudo a ver com os poderes e visual dela) e Cyborg.

O grupo já ganhou uma adaptação animada que foi exibida aqui no Brasil pelo Cartoon Network e pelo SBT. A animação, traduzida aqui como Jovens Titãs, foi criada em 2003 e produzida até 2007, rendendo 5 temporadas de 13 episódios. Inclusive, a maior parte segunda da temporada foi uma adaptação suavizada da HQ que iremos tratar aqui.

Uma segunda animação da equipe foi produzida, focada na fase Justiça Jovem. Com tramas mais densas, a animação agradou um público mais velho, mas infelizmente foi cancelada em sua segunda temporada. Ainda hoje é possível encontrar diversas petições dos fãs nas internet pedindo pra animação voltar a ser produzida.

Por fim, recentemente, uma nova animação dos Titãs foi produzida, chamada Teen Titans Go, sem ligação com a animação original, exibida pela Cartoon Network e voltada para o público infantil. Apesar de ser criada pela dupla que co-criou os titãs nos anos 80 (e criadores do arco Contrato de Judas), admito que não me interessei em ver.

Bem, background dado, vamos logo ao que interessa:

Novos Titãs: O Contrato de Judas é tida por alguns como a maior e talvez a mais impactante saga dos Titãs, junto à fase Justiça Jovem.

A saga, produzida em 1984 pela equipe Marv Wolfman (roteirista), George Pérez (co-roteirista e desenhista) e Dick Giordano (arte-finalista), é na verdade o desfecho de uma trajetória que vinha sendo percorrida pelos produtores ao longo dos meses anteriores, alterando todo o status quo da equipe, tanto individualmente quanto em conjunto. Antes de prosseguirmos, é importante destacar que essa mesma equipe criativa foi a responsável pelo mega-crossover Crise nas Infinitas Terras, produzido um ano depois, onde rebootaram todo o Multiverso DC com muita maestria, mostrando o quanto conhecem os personagens que utilizam.  Se possível em breve faremos uma matéria somente sobre essa saga.

Voltando para nossa HQ, ela foi relançada no Brasil essa semana pela editora Eaglemoss, na coleção de Graphic Novels DC Comics. Essa era uma das edições da coleção mais aguardadas por mim, tanto que eu fiz questão de comprá-la no dia em que chegou nas bancas. O motivo dessa ansiedade? Simples: Nessa saga temos a conversão do primeiro Robin (e meu favorito) Dick Grayson em seu codinome heroico de Asa Noturna, representando sua transição da adolescência para a vida adulta. Nessa fase também vemos a saída do Kid Flash Wally West da equipe, pois este estava tendo problemas com seus poderes e não se sentia bem ajustado à equipe. No ano seguinte, durante a Crise, o personagem iria retornar como o novo Flash, assumindo o uniforme de seu mentor e amigo Barry Allen, o segundo Flash. Esses são só alguns motivos, os demais falarei ao longo do artigo.

Na versão da Eaglemoss, além das 4 histórias que compõem o arco Contrato de Judas, temos também as três edições anteriores, que nos ajudam a ter o background necessário para compreensão da história, além da edição clássica no final mostrando o primeiro team-up dos sidekicks que viriam a fundar os Titãs posteriormente. Ainda que o preço de 45 reais seja salgado, acho que vale a pena pela riqueza e raridade do material aqui no Brasil.

Vamos falar um pouco da trama agora:

A primeira edição do encadernado começa com a equipe combatendo os seguidores da Igreja de Sangue, uma bela demonstração de trabalho em equipe e de como se conhecem e a seus poderes. Aqui já nos é mostrado que a jovem sociopata e recém-Titã Dana Markov (aka Terra) é uma espiã a mando do bátema de Slade Wilson (codinome Exterminador), um dos arqui-inimigos do grupo. Destaque para a jovem sendo mostrada apenas de roupão e fumando, uma amante do vilão com apenas dezesseis anos. Penso que isso geraria muita polêmica se tivesse sido escrito nos dias atuais…

Em seguida temos uma sessão de treino mostrando as habilidades da moça e do seu associado. A edição termina com Kid Flash deixando o time e Dick Grayson abandonando o uniforme de Robin e passando a liderança para a Moça-Maravilha, até que ele se reencontre e descubra uma nova identidade secreta para si.

Então acompanhamos uma dura batalha contra o Irmão Sangue e sua igreja maluca, com a espiã Terra junto a eles os estudando e demonstrando uma certa insegurança sobre eliminá-los ou não, já que ela vê que eles a tratam como igual.

Por fim, chegamos ao arco Contrato de Judas. Nesse arco, vemos o Exterminador botando em prática seu plano de capturar os Titãs um a um, como parte de um contrato mercenário feito pela organização criminosa COLMÉIA (No inglês H.I.V.E., também conhecida por aparecer recentemente na 4° temporada da série de TV Arrow) e assinado por seu falecido filho, o também mercenário e inimigo dos Titãs, Devastador. Utilizando as informações coletadas por Terra, Slade arma emboscadas para cada membro isoladamente dos Titãs, mas falha em capturar Dick Grayson. Então temos uma ótima demonstração das habilidades de detetive que Dick adquiriu nos anos que passou trabalhando ao lado do Batman. Ao longo desse arco, somos apresentados ao segundo filho de Slade, o heroi mudo Jericó, que iria se tornar um dos mais importantes membros dos Novos Titãs, e nos é contada a origem do vilão Exterminador e como ele foi de um soldado de elite do exército americano ao maior mercenário do planeta. É impressionante como Wolfman precisa de poucas páginas para explorar esses personagens, mostrando suas origens, suas habilidades e pontos fracos, assim como os roteiristas mais antigos faziam – algo cada vez mais incomum de se ver nos roteiros atuais.

Também vemos Dick Grayson assumir pela primeira vez sua identidade secreta de Asa Noturna, identidade essa que o personagem mantém até hoje e que só abriu mão para ser o próprio Batman, quando Bruce Wayne havia sido dado como morto após os acontecimentos de Crise Final. A propósito, a fase em que Dick se torna o Batman é elogiada, espero poder lê-la em breve.

A história se conclui com um embate entre os Novos Titãs – agora com suporte do jovem Jericó – e seus adversários: a COLMÉIA, Exterminador e a garota Terra descontrolada. Se você viu essa saga na animação dos Titãs, não se preocupe com spoilers: Aqui, a trama toma um rumo um tanto diferente, mais sombrio e maduro.

Novos Titãs: O Contrato de Judas é uma excelente história, que mostra como a vida adulta é difícil, por ser um momento em que definimos quem seremos pelos próximos anos ou talvez pelo resto da vida. Além disso, a HQ mostra que as pessoas em quem mais confiamos e amamos são as que mais podem nos machucar. Eu sempre quis ler essa HQ, mas por mais famosa que fosse, ela superou minhas expectativas, me deixando inebriado ao fim da leitura. Não é a primeira história da dupla Marv Wolfman e George Pérez que me deixa assim.

THAT’S ALL, FOLKS!!! Vocês já leram essa história? Se sim, deixem sua opinião nos comentários! Se não, o que está esperando? Espero que após minha Recomendação, eu tenha despertado sua vontade em lê-la! Até a próxima!

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Ricardo Sousa

Programador Mobile, comediante falho e co-fundador do Justiça Geek. Fissurado pelo mundo da fantasia e especificamente dos quadrinhos, acha que o mundo real é monótono demais e gostaria de ter superpoderes. Entretanto, o único superpoder que possui é o de fazer piadas extremamente infames, a ponto de tirar os amigos do sério e quebrar o medidor “prassômetro”. Além disso, vive se surpreendendo com os mistérios da mente humana, e encontra nos quadrinhos todas as metáforas e exemplos de vida que precisa para viver bem.

Latest posts by Ricardo Sousa (see all)