O que rolou no Festival Guia dos Quadrinhos 2019!

Nos dias 13 e 14 de abril rolou em São Paulo a edição 2019 do Festival Guia dos Quadrinhos, organizado pelo pessoal do site Guia dos Quadrinhos, um dos mais tradicionais eventos de quadrinhos do Brasil. Eu estive lá no sábado (dia 13) e agora vou contar um pouco sobre o que vi no evento.

O evento comemorou 10 anos nesta edição e por isso houveram algumas mudanças e comemorações especiais. A principal mudança foi o local do evento, que saiu da Avenida Paulista, no Club Homs, e foi para o Haka Plaza, localizado próximo à estação São Joaquim do Metrô. O novo espaço era ótimo, onde se podia transitar com tranquilidade entre os corredores, que estavam lotados de lojas e artistas.

Por falar em artistas, lá no evento você podia comprar prints, quadrinhos ou pegar autógrafos com figuras já conhecidas do cenário nacional. Estavam presentes no evento nomes como Sam Hart, Hiro Kawahara, Felipe Folgosi, Marcatti, Joel Lobo, entre outros. Havia também uma presença internacional de renome, o artista italiano da Disney, Francesco Guerrini, trazido pela editora Culturama para promover seus novos lançamentos.

Aliás, o trabalho da editora Culturama merece elogios. Desde que assumiram a linha de quadrinhos Disney, a editora tem investido bastante em divulgação, tanto que tinha um estande bem grande no evento onde era possível adquirir seus produtos e pegar autógrafo com o artista convidado. O trabalho editorial está sob comando de Paulo Maffia, que já vinha fazendo um bom trabalho na editora Abril com os personagens, sendo um dos responsáveis pela famigerada linha de encadernados de luxo, entre eles a coleção de Carl Barks, que eu espero que volte ao mercado o mais rápido possível.

Outra editora que mandou muito bem no evento foi a Mythos. Como estava rolando a feira da UNESP em paralelo ao evento, no qual os descontos nas publicações devem ser de no mínimo 50%, a editora resolveu levar os mesmos descontos para o Festival, inclusive recentes lançamentos como o Ominibus do Hellbou e a Heavy Metal Black & White. O catálogo da editora é muito bom e bastante variado, recomendo que você fique de olho nos lançamentos da linha Gold Edition (que já teve algumas publicações comentadas por aqui), do Juiz Dredd e da Bonelli. Aliás, a galera do estande da editora conhecia bastante o material que estava vendendo e estava disposta a dar excelentes dicas sobre os quadrinhos disponíveis.

A galera do Pipoca & Nanquim também marcou presença no evento, vendendo os quadrinhos de seu catálogo e alguns das coleções pessoais da equipe do canal/editora, assim como também estavam lá as lojas Comic Boom, Comic Hunter, Confraria do Gibi e o pessoal da loja As Baratas, vendendo camisetas bem legais.

Esse ano o Batman completa 80 anos e a organização do festival usou o personagem como tema da tradicional exposição de artes do evento. Como sempre, diversos artistas nacionais prestaram sua homenagem ao personagem.

É claro que os tradicionais painéis também rolaram no evento, com diversos temas e participantes ilustres do meio jornalístico da cultura Pop. Filmes de Super-Herói, aniversário do Batman e mercado editorial estiveram entre os temas debatidos, além do já tradicional leilão de quadrinhos.

A organização do evento merece elogios, pois era muito fácil andar pelo evento, as mesas estavam bem distribuídas e tudo era bem sinalizado, facilitando na hora de procurar algum artista específico. Esse é um dos pontos mais importantes em uma organização desse tipo, o que alguns eventos parecem esquecer.

O Festival guia dos Quadrinhos é parada obrigatória pra todo fã de quadrinhos. Cada visita ao evento é um aprendizado, uma verdadeira celebração da nona arte. Que venham as próximas edições!

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.