Recomendação da Semana – Sociedade da Justiça: A Era de Ouro

Bem-vindos a mais uma Recomendação da Semana, a coluna na qual recomendamos livros, HQs, filmes, séries e álbuns que achamos interessantes. Hoje falarei sobre um quadrinho que mostra super-heróis clássicos tendo que confrontar problemas do mundo real e como sua presença pode mudar acontecimentos históricos. A recomendação de hoje é Sociedade da Justiça: A Era de Ouro, quadrinho escrito por James Robinson e desenhado por Paul Smith.

Nos anos 40, homens e mulheres com habilidades extraordinárias se reuniram para defender sua nação, sendo uma espécie de esperança para um país que estava sendo ameaçado com os terrores da guerra. Flash, Lanterna Verde, Gavião Negro, Starman, Johnny Quick, Homem Hora, Liberty Belle e muitos outros atenderam ao chamado às armas dos Estados Unidos e Formaram a Sociedade da Justiça da América. Ao fim da guerra, esses heróis não são mais necessários, tendo que voltar às suas vidas comuns. Porém eles veem que isso não é nada fácil, sendo assolados por casamentos conturbados, alcoolismo, vício em drogas e até mesmo insanidade. Quando surge um herói, chamado Dínamo, ligado a uma ala fascista do governo em plena era do macarthismo, os heróis são novamente compelidos a se unirem e enfrentarem esta nova ameaça.

Por essa sinopse, você perceber muitas semelhanças com o Watchmen, o maior expoente quando falamos da desconstrução do gênero de super-heróis. Entretanto, James Robinson é muito hábil em não fazer uma simples cópia do trabalho de Alan Moore, trazendo o realismo para o mundo dos super-heróis, mas mantendo a aura esperançosa tão característica desses personagens, como você perceberá no decorrer da história.

Aliás, Robinson não é hábil apenas em conduzir a história, mas também em dar uma voz única para cada personagem. A história tem um grande enfoque em personagens menos conhecidos do grande público, mas suas personalidades e conflitos são muito bem explorados, fazendo com que o leitor queira conhece-los ainda mais. A forma em que o autor faz um paralelo entre os poderes dos personagens e suas personalidades é brilhante.

Claro que um roteiro tão refinado exige uma arte a altura e Paul Smith atende a todas as expectativas. Conhecido por uma fase bastante renomada nos X-Men, no qual substituiu o grande John Byrne, em Era de Ouro Smith faz com que seus desenhos remetam à Era de Ouro dos quadrinhos, quando os personagens foram criados, e mostrem a evolução entre pessimismo e esperança pelo futuro presente na história.

A edição da Panini é bem bonita, em capa dura, papel de qualidade e um trabalho editorial competente, a despeito dos problemas recentes que a editora teve principalmente com a revisão de seus quadrinhos. Segundo dito pelo editor Levi Trindade em entrevistas, essa publicação funcionará como um teste de popularidade do autor com o público e caso seja bem-sucedido a editora irá publicar outros trabalhos do autor, incluindo o aclamado Starman. Estou torcendo por isso.

Sociedade da Justiça: A Era de Ouro é um quadrinho indispensável para todo fã de super-herói. Explorando os arquétipos mais clássicos desses personagens, a história mostra como os heróis reagem a problemas mais tangíveis a todos nós e como mesmo encarando seu lado mais negro ainda podem manter a esperança. Sem dúvidas um grande exemplar do gênero.

Para comprar esse quadrinho clique AQUI. Ao comprar pelos nossos links você nos ajuda a continuar trazendo Justiça pra Cultura Pop! Ah e sempre tem um desconto bem legal 😉

Ficha Técnica

Editora : Panini
Ano de lançamento: 2018
Páginas: 200 páginas
Preço: R$60,00
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.