Recomendação da Semana – Midnight Nation – O Povo da Meia Noite

Bem-vindos a mais uma Recomendação da Semana, a coluna na qual recomendamos livros, HQs, filmes, séries e álbuns que achamos interessantes. Hoje falarei sobre uma HQ que possui uma contundente crítica social, um roteiro envolvente e uma bela arte. A recomendação de hoje é Midnight Nation – O Povo da Meia Noite, escrita por J. Michael Straczynski e desenhada por Gary Frank.

A HQ narra a história do detetive David Gray que ao investigar um assassinato confronta criaturas assassinas bizarras. Após este confronto, David vai parar no Plano intermediário, uma espécie de realidade entre realidades nas quais as coisas vão ao serem esquecidas, e descobre que terá 12 meses para recuperar sua alma, caso contrário será transformado em uma das criaturas bizarras. Ao lado de laurel, uma espécie de guia espiritual, ele entra em uma jornada para recuperar sua alma e, como vemos no decorrer da história, refletir sobre sua vida.

Straczynski é muito conhecido por sua fase roteirizando o Homem-Aranha, que culminou no polêmico Um Dia a Mais, o pacto com o Mefisto que acabou com o casamento entre Mary Jane e Peter Parker. Eu sempre defendo que o escritor não tem culpa pelo fim da fase, que foi uma imposição editorial, e que ele escreveu excelentes arcos e propôs uma evolução muito importante para Peter Parker. Sua capacidade em trabalhar muito bem personagens em roteiros que prendem a sua atenção é bastante evidente ao longo da jornada de David Gray.

A jornada do detetive se inicia em Los Angeles e vai até Nova York, sendo feita a pé pois no Plano Intermediário não é possível utilizar nada que não tenha sido esquecido. Ao longo dela, David e Laurel encontram diversas pessoas que também se encontram neste plano por diversos motivos e neste ponto que o roteiro imprime as críticas sociais mais contundentes: O que faz as pessoas serem esquecidas? Nós fingimos não enxergar pessoas marginalizadas para não nos preocuparmos com isso? É de se pensar.

Laurel serve como guia na jornada de David.

É muito interessante a forma que vamos descobrindo cada vez mais sobre a vida de David e começamos a entender que ele talvez não tenha parado no plano intermediário por acidente, mas as descobertas sobre Laurel são ainda mais intrigantes. Ela é uma humana? Por que ela tem a missão de guiar as pessoas nessa jornada para recuperar suas almas? O que ela é? Tudo isso é levantado durante a história e muito bem amarrado em seu fim.

A arte de Gary Frank dispensa comentários. O cara realmente manja de narrativa e produz um trabalho excelente numa época em que ele ainda não era um grande nome da indústria. Todos os trabalhos que tem o nome dele valem a pena ser conferidos (como o Shazam, que já recomendamos e você pode conferir clicando AQUI).

Midnight Nation – O Povo da Meia Noite é uma leitura que além de entreter, também provoca questionamentos do leitor com relação a sociedade em que vivemos. O posfácio escrito pelo próprio Straczynski aprofunda ainda mais a discussão. Já leu esse quadrinho? O que achou? Deixe sua opinião aí nos comentários.

Straczynski possui excelentes trabalhos, basta procurar.

Ficha técnica

Editora : Mythos
Ano de lançamento: 2013
Páginas: 320
Preço: R$ 69,90
Onde encontrar: Livrarias e lojas especializadas.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR:

The following two tabs change content below.

Lucas Araújo

Programador, estudante de TI e co-fundador do Justiça Geek. Fanático por quadrinhos, aficionado por filmes e séries, leitor faminto, gamer esporádico e músico (muito) frustrado. Gosta de falar sobre tudo isso em seu tempo livre(ou até mesmo quando não está tão livre...), debatendo questões essenciais para a humanidade como quem vence um crossover entre super- heróis, qual é seu escritor favorito e se um filme foi bem feito.